Antecipe os riscos da cadeia de suprimentos

Antecipe os riscos da cadeia de suprimentos

Devido a globalização, pensar na segurança e resiliência da cadeia de suprimentos, antecipando riscos, está entrando no foco das estratégias de negócios das empresas modernas.

Depois de quase dois anos de crise causada pela pandemia de Covid-19, a gestão de riscos está ganhando relevância para evitar interrupções graves na cadeia de suprimentos, por permitir um gerenciamento mais eficiente da rede de fornecedores, as demandas dos clientes e os concorrentes.

Riscos na cadeia de suprimentos são todos os eventos que podem impactar negativamente em uma operação fabril – transporte, falta de insumos, atrasos na entrega – e que podem ser causados por problemas financeiros, meteorológicos, sanitários, desastres naturais, entre outros, que possam causar interrupções por toda a cadeia de suprimentos.

Objetivos da gestão de risco na cadeia de suprimentos

Ao mesmo tempo em que as cadeias de suprimentos globais trouxeram diversos benefícios para as empresas, também trazem riscos se não forem gerenciadas corretamente. Portanto, entender como antecipar esses riscos é essencial para saber como agir para evitá-los.

Tradicionalmente, a gestão de riscos era considerada como parte dos processos da área financeira. Essa visão, entretanto, não cabe mais nas empresas modernas, pois é importante que todos os níveis da empresa participem da gestão de riscos na cadeia de suprimentos, pois eles implicam em problemas que impactam em todas as áreas.

Além disso, uma gestão de riscos eficiente aumenta a possibilidade da empresa de manter sua continuidade operacional, sem prejudicar a entrega de produtos e a experiência do cliente.

Etapas para antecipar riscos

O desafio para as empresas é conseguir equilibrar a produção com as expectativas dos clientes e lidar com possíveis vulnerabilidades de sua cadeia de suprimentos. Para isso, algumas etapas devem ser seguidas.

Identifique o risco

Identificar os possíveis riscos que a empresa corre é o primeiro passo para antecipar problemas. Os riscos precisam ser classificados – operacionais, demanda, oferta, etc. – e a probabilidade de ocorrerem deve ser mensurada.

Essa análise permite mapear as possíveis vulnerabilidades e fraquezas de toda a cadeia de suprimentos, incluindo a origem dos insumos, instalações dos fornecedores e transporte.

Análise de risco

A análise de risco orienta as estratégias implementadas para definir cenários e qual o nível de impacto nos negócios. Um scorecard detalha o perfil de risco dos fornecedores e contribui para classificar riscos individuais.

De acordo com o nível de exposição de um fornecedor, a empresa pode buscar novas fontes de fornecimento de forma a manter os estoques em níveis seguros.

Avaliação de risco

A avaliação de risco analisa a probabilidade e o impacto de um risco ocorrer. Ou seja, é necessário analisar as incertezas de oferta e demanda e mensurá-las para ter uma visão realista do impacto.

Por meio da combinação de valores de probabilidade e impacto é possível criar uma matriz de avaliação de riscos e previsão dos recursos necessários – humanos, técnicos e financeiros – para minimizar o resultado.

Gestão de riscos

Ter uma estratégia para gerenciar riscos e reduzi-los  é essencial para a empresa se preparar para incertezas no futuro e saber o que fazer quando algo der errado. Para isso, é necessário criar abordagens logísticas diferentes, como optar por buscar fornecedores mais próximos à empresa, e não aquele que oferece o menor preço.

Monitore o risco

Nenhuma estratégia de gestão de risco é bem sucedida se não houver um monitoramento ativo dos riscos na cadeia de suprimentos. Isso é necessário por que as circunstâncias mudam rapidamente e a estratégia precisa se adaptar a essas mudanças rapidamente.

Plano de gestão de riscos na cadeia de suprimentos

O plano é uma ferramenta que ajuda as empresas a identificar e avaliar os riscos em potencial, estimar a probabilidade de ocorrerem e qual seu impacto.

O primeiro passo é conduzir uma análise de risco que identifique, documente e priorize riscos em potencial e como eles podem impactar nos negócios.  Depois é necessário definir os possíveis cenários e resultados.

O passo seguinte é atribuir funções e responsabilidades entre as áreas e funcionários e determinar uma estratégia especifica para agir antecipadamente no caso de alertas serem acionados.

Um plano de contingência deve ser criado para minimizar o impacto de riscos com alta prioridade. Esse plano também precisa mapear o fluxo de trabalho e os recursos que podem ser usados no caso de emergências.

É necessário entender que os riscos precisam ser compartilhados com os fornecedores, por isso é essencial detalhar quais são esses riscos, quais áreas serão atingidas e determinar o nível de risco que cada fornecedor deve assumir.

Por fim, o plano de gestão de riscos precisa ser revisto e atualizado regularmente e deve envolver funcionários, parceiros, clientes e até mesmo especialistas externos.

Dados são fundamentais para reduzir riscos na cadeia de suprimentos e a COSTDRIVERS conta com uma plataforma completa para gestão de fornecedores. Saiba como reduzir custos e riscos e fazer projeções de maneira estratégica. Fale com um dos nossos especialistas.

Contato

Endereço: Av. Brigadeiro Faria Lima, 1993, São Paulo, Brasil

Telefone: +55 011 2162-1790

Email: info@costdrivers.com

Copyright 2019 – COSTDRIVERS – Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela Intelligenzia​