Supply Chain 4.0: grandes marcas reescrevem as regras

Carlos Cordon, professor LEGO de Estratégia e Supply Chain Management da IMD, acha que a revolução digital está criando um novo paradigma para o que costumava ser a cadeia de suprimentos.

A tecnologia, diz ele, torna obsoletos os fundamentos do gerenciamento da cadeia de suprimentos. Se antes o objetivo era entregar a qualidade certa ao menor custo, conforme o nível de serviço acordado, o foco agora é estimular as vendas por meio de uma melhor compreensão de como os clientes se comportam.

Cordon chama a atenção para o novo modelo, denominado de Supply Chain 4.0, que tem atraído o interesse das grandes marcas do planeta. É uma novidade aplicada à cadeia de suprimentos e não apenas à fabricação propriamente dita. Na Rússia, a receita da Adidas em Moscou alcançou dois dígitos em 24 horas depois de adotar os princípios de Supply Chain 4.0. “Ao mesmo tempo, a Amazon recorre a drones para fazer a entrega de produtos, um movimento muito caro, mas que visa ampliar as vendas”, exemplifica.

Para agradar a clientela, a Adidas está implementando a estratégia Omnichannel, apontada como uma das grandes tendências do mercado varejista no momento. Tatiane Monteiro, especialista em marketing digital, lembra que o consumidor ommnichannel usa todos os canais simultaneamente e as empresas que utilizam essa abordagem acompanham os clientes em todos os canais e não apenas um ou dois.

O artifício permite que as pessoas comprem de várias maneiras (on-line ou na loja física) qualquer produto disponível em seus pontos de venda russos, e para que seja entregue de qualquer forma (em casa, na loja ou em um ponto de pick-up). “Isso é possível graças ao uso de chips de identificação RFID, ferramentas ‘navio da loja’, uma solução digital ‘clique e colete’ e tecnologia ‘corredor sem fim’”, explica Carlos Cordon.

Inicialmente, a companhia implantou um teste de clique e recolher em Moscou esperando que apenas alguns consumidores escolheriam essa opção – comprar on-line e coletar o produto em uma loja. A expectativa era receber de 10 a 20 pedidos por semana, mas as encomendas chegaram a 1.000 por semana. Adidas teve que interromper a experiência até construir a infraestrutura da cadeia de suprimentos capaz de suportar tal demanda. Hoje, até 70% das vendas on-line são através de clique e coletar.

Fontes:

https://www.supplychainmovement.com/supply-chain-4-0-adidas-amazon-re-write-rules/#.WKShqQtLZf4.linkedin

http://nextecommerce.com.br/omni-channel-o-que-significa-isso/

 

Artigos Relacionados:

Fique por dentro das novidades

Receba nosso conteúdo exclusivo por e-mail

Contato

Endereço: Av. Brigadeiro Faria Lima, 1993, São Paulo, Brasil

Telefone: +55 011 2162-1790

Email: info@costdrivers.com

Copyright 2019 – COSTDRIVERS – Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela Intelligenzia​