Veja como o cenário macroeconômico vai impactar o preço das resinas plásticas até o fim de 2019

Os últimos dois semestres foram marcados por incertezas relacionadas à eleição de Jair Bolsonaro, visto como a melhor opção para tirar o país da crise herdada dos governos anteriores. Isso fez com que o índice de confiança do empresário apresentasse uma melhora significativa, saindo de 53,7 pontos em out-18 para 63,2 pontos já em novembro do mesmo ano. Com a eleição de Bolsonaro confirmada, esse patamar de confiança se manteve até fevereiro de 2019, quando as discussões sobre as reformas propostas e necessárias se intensificaram.

A partir de março, entretanto, com os primeiros sinais de fragilidade do governo aparecendo, o índice voltou a cair, chegando a 56,5 pontos, mas voltando a crescer timidamente em junho, com um pequeno aumento de 0,4 pontos. Nesse contexto o primeiro semestre mostrou-se mais conturbado do que o esperado, com o PIB brasileiro sofrendo diversas revisões para baixo, e mostrando problemas para a performance da indústria.

Apesar desses percalços, para os próximos meses, espera-se que a inflação continue controlada, com queda nos juros, visando estimular a economia, e com uma taxa do dólar atingindo o patamar de R$ 3,9000, mesmo com as projeções de um crescimento do PIB muito baixo.

Resinas plásticas
O mercado de resinas plásticas também enfrenta pressões de baixa de preços desde o começo de 2019, seja no cenário nacional ou internacional. No cenário internacional, fatores relacionados à cadeia do petróleo, como a nafta, impactam diretamente nos preços do setor, que já enfrentam quedas devido à guerra comercial entre China e Estados Unidos. O aumento da produção e estoques nos Estados Unidos, a queda no consumo na China e expectativas maiores relacionadas a carros elétricos e fontes de energia alternativas, são os principais motivos para o preço mais baixo.

Por outro lado, o corte de produção efetuado pela OPEP, na tentativa de reverter o cenário, não está impactando da forma esperada. Os resultados tímidos são resultado do aumento de produção de países fora da organização. Isso causa um desencontro entre oferta e demanda de algumas resinas, como o polietileno, e também para a queda dos preços em dólar que já ocorre há alguns anos no mercado internacional.

No Brasil, a Braskem possui uma grande influência por ser a principal fornecedora de resina plástica para o mercado interno e por deter uma grande fatia desse mercado. Apesar disso, a empresa opera atenta ao preço internacional para que consiga se manter competitiva diante da importação de resinas.

Para o segundo semestre, as incertezas da economia nacional não contribuem para um resultado mais positivo. Quedas consecutivas na previsão do PIB e incertezas políticas prejudicam o mercado e a confiança do consumidor. Apesar disso, espera-se uma mudança positiva no cenário econômico brasileiro e mundial até o final de 2019, com expectativa de aumento de preços nesse período.

Com um cenário político e econômico marcado por mudanças abruptas. Conflitos comerciais, possibilidade de recessão global e um cenário interno marcado por incertezas, faz com que o setor de compras preciso entender o que o impactará pelos próximos meses. Pensando nisso, a COSTDRIVERS elaborou um relatório que traça o panorama da economia global e brasileira. Baixe o relatório para estar preparado para esses novos desafios.

Contato

Endereço: Av. Brigadeiro Faria Lima, 1993, São Paulo, Brasil

Telefone: +55 011 2162-1790

Email: info@costdrivers.com

Copyright 2019 – COSTDRIVERS – Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela Intelligenzia​